Guia para Escolha do melhor LED

Guia para Escolha do melhor LED

[vc_custom_heading source=”post_title”]

Aqui falaremos sobre um guia para a escolha de lâmpadas e refletores LED.

Primeiro devemos entender que a qualidade e o preço das lâmpadas são determinados por quatro componentes: Chip LED, Driver, dissipador de calor e placa de circuito impresso (PCB).

guia-escolher-led

 

1 – Chip LED

Sem dúvida um dos componentes mais importantes de uma lâmpada LED. Existe uma ampla gama de padrões de desempenho e, consequentemente, o preço pode variar dependendo do tipo de chip utilizado pelo fabricante. Enquanto as lâmpadas de alto desempenho usam CREE ou OSRAM; o preço pode ser um pouco alto demais para a maioria dos consumidores. Ao invés disso, você pode querer optar por uma lâmpada com um chip das marcas Bridgelux, Samsung ou Epistar, que também são de qualidade , mas a preços mais acessíveis.

O uso de um chip de qualidade resulta em uma cor bonita, (alto índice de reprodução de cor – IRC), bem como uma alta eficiência luminosa (mais lúmens por watt).

Em relação aos tipos de chips, temos os SMD e o COB. O SMD normalmente vem representado por números, como 2835, 3014, 3528, 5050, 5630, que representam as medidas de cada chip. No chip COB, eles são montados diretamente sobre as placas de circuito impresso (PCB) e costumam ser bem maiores.

É importante sempre ver a embalagem das lâmpadas, onde devem constar sua eficiência, temperatura de cor, IRC, etc.

 

2 – Driver

O segundo componente chave é o sistema de energia, comumente referido como o driver. É o fator limitante na vida útil da lâmpada LED – enquanto muitos alegam uma vida útil de até 30 anos; um driver de qualidade boa dura em torno de 30.000 horas. Algumas marcas tops de mercado, como a Meanwell, pode chegar a 60.000 horas, porém são mais utilizadas em refletores e luminárias industriais/públicas.

A maioria dos fabricantes usa seu próprio driver. Nestes casos é aconselhável perguntar se o capacitor vem de um fabricante respeitável.

 

3 – Dissipador de calor

LEDs são sensíveis à temperatura tornando o dissipador de calor uma preocupação importante. A maioria dos produtos usam um dissipador de calor de liga de alumínio mas existem três itens que devemos averiguar:

A. Condutividade térmica: o 6063 alumínio é o material mais utilizado. Os melhores têm revestimento anodizado.
B. Dimensões: quanto maior, melhor.
C. Tubo de calor: o tubo de calor de cobre é utilizado em alguns LED de alta potência, como os modelos de 200W ou mais.

 

4 – PCB – Placa de Circuito Impresso

O material utilizado e o desenho do PCB é importante, pois ele liga o chip de led ao dissipador de calor. O PCB com baixa condutividade térmica resulta em uma lâmpada quente. Metal e PCB com núcleo de cerâmica têm um bom coeficiente de transferência de calor, mas a maioria dos fabricantes utiliza fibra de vidro por ter um custo menor.

Para quem não é da área, realmente é difícil diferenciar qual é bom e qual não é, então para que não corra riscos de comprar um produto ruim, vale a pena um papo com o seu fornecedor. Veja se ele realmente entende do negócio, se sabem diferenciar um led bom do ruim e se conhecem os componentes de suas lâmpadas. Se não souberem nem isso, já pode ficar suspeito de que provavelmente pegaram os componentes mais baratos e só querem saber de vender, sem ligar para qualidade do produto.

 

É isso aí gente, espero tê-los ajudado um pouco e caso tenham dúvidas, fiquem à vontade para entrarem em contato pelo e-mail contato@leox.com.br

Sem comentários

Desculpe, o formulário de comentários está fechado neste momento.